Até a sua mordida me lembra que você em mim existe

A dor pulsando desde o contato, sua voz na minha mente mesmo sem você por perto

Eu acelerando o meu carro e lembrando de você do meu lado

Como num riacho, àquela água toda

Deslizando

No meu abraço você todo atoa, cedendo ao contato, ambos molhados, essa água quente – essa vida é tão boa

Gosto de gente livre, como os abraços

Devidamente conectados

Perdi a pressa

Fui encontrar mais gente boa

Encontrei – foi bom a noite toda

No final eu parti pra minha casa. No caminho parei na conveniência de um posto, dei umas risadas atoas e não pensei em mais nada

Caramba, que noite gelada

Inclusive dei uns beijos mas até me esqueci dessa parte, esses beijos não significaram nada

Depois do posto eu passei por uma rua em que eu já te deixara, você saindo do meu carro, me dando um beijo na boca, uma risada e seguindo sua caminhada. A casa dele é logo ali

Fiquei com a intensidade explícita na minha cara, me olham dirigindo este carro e pensam: Ele não vai parar, nem no sinal vermelho ele para

Tudo o que eu vivi até aqui colocou isso tudo na minha alma e essa coisa de que ninguém me para

Tu me contou da sua mãe

“Um dia você irá conhece-la”

E eu te trouxe pra minha casa nesse mesmo dia de conhece-la

Essa é a minha casa, a minha família eu já te apresento, tenha calma

Logo em seguida te levei pra conhece-los, logo depois da minha casa

Tu foi em tudo sorrindo

Conversou com todos, cantou na minha sala

Combinamos que iríamos falar aquilo para todos: Eu amo esse cara, estamos juntos, mais nada

Estava na cara tudo isso, não duvidaram, confiaram firmes

“Eu não me imaginava nisso tudo e a vida muda, como num filme”

Um filme intenso, bonito e livre

Soubemos bem nos libertar

Não é sobre um filme que eu assisto, é o filme que eu nasci para gravar

Impossível se questionar com qualquer coisa tola

Sei quem eu sou, onde estou indo e não sei sobre a minha morte

Também não quero perguntar

Não tenho medo

E é com você que eu quis ficar

Cantamos todas as músicas

A noite avançava

Saímos da casa dos seus sogros e fomos viajar, assim, do nada

Acelerei a noite toda

Quando eu cansava, você acelerava com mais força

Pare logo ali, vamos dormir nesse hotel da estrada

Ficamos conversando a noite toda, não dormimos, amanheceu e voltamos pra estrada

Tu me contando muita coisa

Eu retribuindo, falando com verdade sobre todas as coisas

Nunca acabara nossos sorrisos, não desanimamos ou nos cansamos das nossas pessoas, fomos isso tudo, numa boa

Estou indo viajar contigo

E não com qualquer outra pessoa.

Igor Florim

Publicidade